domingo, 10 de novembro de 2019

VIVA LULA

Quadragésimo-segundo mês,
ANO IV do Golpe
ANO II da Era Fascista



Lula foi solto. Nenhum favor: repor o que era cláusula pétrea da Constitiução antes da trapaça para prendê-lo a tempo de não poder se reeleger presidente não passa do mínimo de justiça num país que nem lembra mais o que o conceito significa.

Lula incomoda Bolsonaro, que ainda tem o fantasma de Marielle em seu encalço. Lula incomoda o novo Goebbels deste nosso admirável mundo velho, Bannon. Incomoda o putrescente ex-juiz überfascista que foi promovido por encarcerá-lo.

Lula é um perigo para o regime fascista que tenta se apoderar do mundo, em particular da América Latina, & Lula, por isso, também corre sério perigo.

Lula foi recebido por um oceano de gente efusiva; ele é o "maior líder popular do mundo", disse Chomsky.

Vamos ver o que acontece nos próximos capítulos: se o congresso vota a PEC da segunda instância com pressa, para deformar novamente a Constituição em favor do fascismo; se Lula consegue viajar para espalhar alguma esperança nesta renovada colônia de escravos, sem que psicopatas ataquem sua caravana. 

E terá ele carisma & força política suficiente para lutar contra interesses de financistas & banqueiros internacionais, a mídia de massas & as empresas de tecnologia alienante, fascistas & corruptos brasileiros, milicianos & debilóides, o agronegócio, a banda podre da justiça, o fascio-evangelismo?

É muita coisa simultânea, & não estou particularmente otimista. Mas é Lula. 

Vamos ver. 

terça-feira, 8 de outubro de 2019

QUE SEJAM PERIGOSÍSSIMOS

Quadragésimo-primeiro mês,
Ano IV do Golpe
Ano II da Era Fascista

LULA LIVRE



Johnny wants to suck on a coke
Johnny wants to think of a joke

Parte da crítica brasileira ao extraordinário Bacurau, de Kleber Mendonça e Julio Dornelles, & da crítica em toda parte a Coringa, de Todd Phillips, sugere que os filmes são perigosos.

Tanto no Brasil quanto nos EUA & elsewhere, quem escreve isso são pessoas dos lugares de poder fascista que infestaram o mundo, ou gente que está no triste esquema promovido pelo fascismo entre a chamada "intelligentsia", o esquema do antigo truque romano: o dividir para conquistar.

Espero que esses dois filmes sejam efetivamente perigosos. Estou torcendo para que sejam perigosíssimos.

Como disse Chris Hedges já em 2017: "aqueles que não forem capazes de fazer medo às elites do poder, não terão sucesso (...) Apelar à sua boa natureza é inútil: elas não a têm. Os dias adiante serão sombrios e assustadores". Mas complementa que, ao encarar o mal radical, sairemos vitoriosos, & só assim.

Aqui a fala completa:



Bacurau não é a violência bolsonarista invertida, como um idiota da imprensa disse idiotamente: Bacurau é a violência ancestral, acordada só em momentos decisivos de conflito já além de qualquer ajuste, é a cena em que o museu revida com suas armas arcaicas, porque a cultura, a verdadeira cultura, não é nem nunca foi inofensiva.

Coringa não é dúbio em flagrar a dissolução mental & social dentro do totalitarismo empresarial dos EUA: o filme anota sem deixar espaço para qualquer suspeita quem são os responsáveis por essa dissolução.

Mas não adula o resultado da dissolução, apenas anota o que acontece, como aliás estatisticamente se pode achar de modo rigoroso, científico, no livro fundamental de Thomas Piketty, O Capital no Século XXI, quando demonstra que, como efeito de períodos de extrema reconcentração de renda, de modo inevitável, se acham na História guerras civis, revoluções, guerras mundiais.

O desastre não é organizado, nem catártico: é um desastre. Bacurau ainda nos dá a catarse, que o Brasil como país nunca reagiu ao mal que se lhe fez (& que frequentemente faz a si mesmo, como agora), & precisa obviamente acordar para seu papel histórico, o que leva Mendonça a imaginar o Brasil retomando Canudos, o cangaço, as raízes de um brio ancestral, multiétnico, das questões nunca realmente enfrentadas, como a escravidão & seus efeitos muito presentes ainda (ou sobretudo) hoje.


Lunga não está para brincadeira

Que sejam filmes perigosíssimos, nos termos proféticos de Chris Hedges. 

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Io venni in loco di ogne luce muto

Trigésimo-nono mês,
Ano IV do Golpe,
Ano II da Era Fascista



LULA LIVRE



Não creio que seja necessário ter muita imaginação para comparar a cidade de São Paulo ao Inferno; ou qualquer metrópole: T. S. Eliot, logo após a Primeira Guerra, sugeriu a comparação entre Londres & aquele buraco atroz da nossa consciência.

MAS (& é um grande mas) nesta última segunda-feira pudemos ver aqui algo muito mais persuasivo, algo que nosso inverno pôde propor como ligação direta com inferno: o fogo do governo fascista & de seus comparsas latifundiários, o fogo daqueles que matam lideranças indígenas, foi esse o fogo queimando a Amazônia até as cinzas, essas que cobriram o céu da cidade do Sudeste ao ponto espantoso de roubar até mesmo as cores de tudo. 

Era uma escuridão durante o dia que eu mesmo jamais havia presenciado, a não ser assistindo a  Blade Runner (1982), de Ridley Scott, que aliás se passa neste mesmo ano de 2019. Ficcionalmente?



Me lembrei de imediato de um dos muitos versos célebres da Commedia: é, aquela escrita por Dante Alighieri, o florentino. É um verso do canto V, o que vai de título inevitável a esta postagem, e diz, em português: "Cheguei a um lugar mudo de toda luz".

É quando ele adentra o ar espesso do Inferno, "mudo de toda luz".

Quem duvidava da alcunha "o nosso Hitler", talvez reconsidere. A destruição da Amazônia nem precisará dos 4 anos infernais de seu desgoverno, vai morrer antes. Hoje já é provável que o atual dano seja irreversível, & prossegue.

Quem votou nele, eu dizia, tem sangue nas mãos. Quem deixou de votar na alternativa, também. Mas tem mais: estrangula o pescoço da vida, não só humana, não só animal neste planeta, mas toda a vida.

E isso não é um indivíduo estúpido no poder, uma figura repelente mas alegórica para dar sua cara feia a tapa, isso é o profundo Estado de escuridão que se apossou do poder & vem se enraizando nele desde 2016, com o golpe de Estado, & que desde lá mostra a que veio. 

Não por acaso, falando em escuridão, a foto que se tornou instantaneamente famosa de mais esse desastre é a de um tamanduá cego, tentando fugir do fogo destruidor, tentando se defender, foto de Araquém Alcântara. 

Tudo neste completo desastre de proporções mundiais é metáfora: é a cegueira, é a escuridão, é o inferno mudo de toda luz. 

Foi a esse ponto, penso que sem volta agora, que chegamos.




segunda-feira, 10 de junho de 2019

NEM PROVAS, NEM CONVICÇÃO

Trigésimo-sétimo mês,
Ano IV do Golpe
Ano II da Era Fascista



LULA LIVRE


The Intercept publicou matérias extensas (& diz que publicará ainda mais, adiante) que provam o conluio entre o ex-juizeco camicia nera agora Ministro da Injustiça & a operação Lavajato para prender Lula & impedir o Partido dos Trabalhadores de vencer as eleições presidenciais de 2018.

Judas recebera algumas moedas, apenas; Aroeira 
mostra que alguns pagam mais

Tramam juntos o timing de suas ações - para o que não tinham prova, como sabíamos, nem convicção, como agora sabemos - milimetricamente servindo à agenda política que levou a extrema-direita ao poder. 

E o juizeco foi premiado pelo Boçal pelos serviços prestados. E diz o Boçal que o premiará ainda melhor, indicando-o ao Supremo Tribunal Fascista, que aliás acaba de tornar público o acordo com os fascistas do executivo & de selar esse acordo com a licença para doar todo o petróleo sem precisar do aval do Congresso.

O imparcial, sorrindo com a "gente de bem",
o que, como diz a sabedoria popular, é gente de bens.


Lula está preso injustamente há 13 meses. O coro da imprensa de massas nacional é que foi justamente que se o fez, & viva a muy podre Lavajato.

O mundo do avesso, inversão completa de tudo, o maior escândalo da história da república, de fato.  

Hamlet falaria de algo podre no reino. 

Mas, neste nosso caso, podre é o reino todo, com um homem justo na prisão, algo para os romances de Dumas, como o capítulo do Visconde de Bragelonne sobre o homem da máscara de ferro, ou O Conde de Monte Cristo.

Aqui:




quarta-feira, 15 de maio de 2019

DISSE A VERDADE, VAI PRA CADEIA

Trigésimo-sexto mês,
Ano IV do Golpe,
Ano II da Era Fascista

LULA LIVRE


Quem mandou matar Marielle? Uma simples coincidência. 

Quem vai mandar o Moron para o Supremo Tribunal Fascista? Nada além de uma promessa. 

Quem mandou Temerária & o General Limo para casa? O Superior Tribunal de Jumentos.

Bozonaro vai com armas para o Texas & o Brasil vai com a educação para as ruas.




ps: Moron não deveria ir para o STF, mas para Washington, antes que seja tarde demais pra ele.


quinta-feira, 11 de abril de 2019

O MUNDO DEVE MUDAR

Trigésimo-quinto mês,
Ano IV do Golpe de Estado,
Ano II da Era Fascista

LULA LIVRE




Julian Assange, criador do Wikileaks, foi preso na Inglaterra após a traição do novo presidente equatoriano, que suspendeu seu asilo diplomático na embaixada do país em Londres, onde o ativista vivia (honestamente, já preso) há 7 anos.

Visivelmente fragilizado, como sua advogada já vinha avisando, Assange tentava resistir & falar.

Julian Assange, preso.
Lula, preso.
Chelsea Manning, presa.
Edward Snowden, refugiado.
Marielle, assassinada.

São essas as pessoas que dizem a verdade.

Este é o mundo rigorosamente fascista em que vivemos hoje, sob o olhar bovino das multidões que babam mascando as redes sociais. Multidões já mortas & escravizadas por quem pôs em fast track um plano de 1997 de tomada do poder em escala mundial, com espionagem, assassinato, prisões, exílios de pessoas-chave, com fraudes eleitorais, guerra híbrida, desprezo ao Direito, à diplomacia, aos acordos sociais & civilizacionais.

Objetivo: tomar posse de recursos naturais, acirrar uma guerra civilizacional-econômica, escravização de mão-de-obra. Maximizar os lucros na maior acumulação de capital da história registrada (cf. Thomas Piketty) e depopulação drástica, o que chamavam os futuristas "higiene dos povos". 

É preciso que as pessoas contrárias a essas monstruosas violências anti-civilizacionais se mobilizem, se juntem, para defender pessoas & idéias. 

chelsea manning

só você pode, lucidamente. note os cães
de patas cruzadas: neles se move primeiro
a ponta das orelhas, e a cabeça pondo em
direção olhos e faro. detectam algo no ar,

erguem-se nas patas, farejam, começam a
rosnar. seu corpo vai se tornar um trevo,
nova invenção de nome ainda aéreo, seus
membros se mudam, o mundo deve mudar.

mas demora: agora, só cães que querem te
partir em mil pedaços, novo deus agrário,
nome divino dos astros, da nova aventura?
como viver outro sexo, tirésias, ou fugir à

força do assédio, dafne? como cobrir a pele
frágil contra tanta agrura, actæon? a receita
que rasga a todos, pune ausência no sacrário,
hermes, afrodite: que você lute, que você fique.

quinta-feira, 21 de março de 2019

QUEM MANDOU MATAR MARIELLE


Trigésimo-quarto mês,
Ano IV do Golpe de Estado,
Ano II da Era Fascista


LULA LIVRE




Nós sabemos quem
mandou matar Marielle.

Você sabe quem
mandou matar Marielle?

Quem mandou
matar Marielle
estaria morto, preso, incomunicado?

Ou estaria livre, leve,
solto, em algum lugar do Estado?

Nós sabemos quem
mandou matar Marielle;

o mundo também
sabe quem,

e quem mandou
matar Marielle

seria um, dois, três ou
quatro?

Alguém para quem
a arma é o poder de fato?

Alguém para quem
mentira é propaganda e contrato?

Alguém para quem
bastou o domínio do fato?

Nós sabemos quem
mandou matar Marielle.

Todo mundo sabe
perdão —,
a Justiça, não.

A Justiça só sabe quem
seria um problema pro rato
que mandou matar Marielle;

problema pro rato
que tem o domínio do fato;

problema pro rato
que tem na arma o poder de fato.

Nós sabemos quem
mandou matar Marielle.

Você sabe quem
mandou matar Marielle?

Quem mandou matar Marielle
é rato que tem algum faro.

É alguém pra quem
o voto sai caro,

alguém pra quem
basta o despreparo,

alguém pra quem
a solução é um disparo.

Nós sabemos quem
mandou matar Marielle.

Você sabe quem
mandou matar Marielle?

Se precisar, eu não paro.