segunda-feira, 2 de outubro de 2017

FOLHA: UM JORNAL A SERVIÇO DO GOLPE

Décimo-nono mês,
Ano II do Golpe de Estado: ditadura de MiSheLL Temer



Se ainda restava qualquer dúvida de que a Folha de São Paulo está roída de dentro por ratos, hoje essa dúvida desapareceu: ao pôr em letras garrafais na manchete que "maioria quer Lula preso" ela deixa integralmente de fazer jornalismo para se tornar parte enfática da máquina fascista.

"Querer" Lula preso não tem nada a ver com um processo que deveria ser isento & jurídico, & que, como sabemos, não é nenhuma das duas coisas desde o começo, via juiz inimigo, com o qual voltamos à Idade Média. 

Se um jornal já perdeu até mesmo a vergonha de passar por cima do Estado de Direito para entrar na máquina de propaganda golpista, é porque estamos realmente enfiados até as orelhas numa ditadura.

Sabe-se que a ditadura militar teve o aval entusiasmado da Folha de São Paulo. O Golpe de 2016 também. A prisão de Lula, sem provas, sem verdadeiro processo jurídico, também terá. 

São dias muito escuros, os nossos, & históricos. 

Lula será preso, não resta mais dúvidas. O que se fez no passado com outros grandes líderes populares será o seu destino igualmente, & ainda outra lição para quem quiser adiante desafiar os antigos privilégios, como quando Lula discursou, eleito, que "500 anos acabam aqui". 

Ingenuidade dele: levou pouco mais de um ano de ditadura para Temer nos devolver quase às portas da escravidão. Dois meses para nos devolver aos anos 30. Bem pouco para deixar o Brasil de joelhos internacionalmente.

Conquistas são delicadas. Canalhice é simples & imediata.

Os verdadeiros corruptos, contra quem a abundância de provas chega a ser um completo escândalo de malas repletas de dinheiro, de helicópteros repletos de cocaína, de decisões repletas de entreguismo & covardia, esses continuarão no Senado, na Câmara, nos ministérios, na faixa presidencial, no mais alto lugar da Justiça (apenas de fachada) do Brasil.

Estamos assistindo, desde 2015, a um novo 1964. A maior parte dos brasileiros, inclusive influentes, segue calada ou golpista. 

Dizem que o brasileiro não tem memória. 

Ao menos um deles tem, está bem aqui & não vai esquecer o que viu exemplarmente. O futuro aguarda a todos, & a História não tem remédio. 

Nenhum comentário: