terça-feira, 2 de outubro de 2018

VENENO

Vigésimo-nono mês,
Ano III do Golpe: ditadura de MiSheLL Temer

LULA LIVRE




Há um lento resquício
de flores & folhas aromáticas no meu vinho.

Estou cansado, e não fiz nada.

Homens trabalham duro lá fora
numa reforma: suas marretas e serras
operam sem parar em telhas, chapas de metal, paredes de tijolo.

Ontem eram os gritos de gente, sobretudo jovem,
tentando impedir o avanço do fascismo, a grande sombra.

A história está contra essa gente, contra seu entusiasmo
pelo que é certo, pelas virtudes da civilidade, etc.

O mundo sonhado do lado solar dos nossos esforços
é como as flores & folhas no meu vinho, aliás tardio:

um lento resquício.

Minha casa tem ainda silêncio de tarde preguiçosa.
Em alguns dias, não mais: os soldados estão parados,
à porta, aguardando as ordens.

Sócrates, velho Sócrates, você teria acreditado
na mentira de Atenas? Por que aguardou o momento final,
por que conversou com os algozes, os de cera nos ouvidos?

Talvez, como eu, não tivesse escolha.

Resquícios. Serão varridos, pela manhã, com o lixo da reforma.

5 comentários:

Unknown disse...

que belo que forte que oportuno
que abraços fortes para o demônio
from Leonardo Fróes. Luta & Prazer!

Luiz Henrique Raele Braga disse...

"O mundo sonhado do lado solar dos nossos esforços
é como as flores & folhas no meu vinho, aliás tardio:

um lento resquício.".

Maravilhoso.....

Dinalva Nellessen disse...

É intensamente bonito.
Fiquei com a sensação que o lia impresso na minha angústia.

Presciliana disse...

De longe pude sentir a intensidade que paira neste momento no nosso país tão pobre de lucidez.

Dirceu Villa disse...

Há uma coisa importante a se dizer da seção de comentários deste blog.

Recentemente recebi uma quantidade notável de spam & uma quantidade não menos notável de ameaças & ofensas. Robô & gente sem noção se misturou de modo que nem o método Voight-Kampff seria capaz de discernir.

A política do blog se tornou, então, a seguinte: desde que não seja discurso de ódio, ameaças & venha diligentemente identificado, & não "Anônimo", o comentário é publicado.

Yep, o critério é o meu.

Por que digo isso?

Primeiro, porque falta civilização no espaço digital, & esse é um espaço civilizado. Sim, podemos discutir infinitamente o termo, mas é melhor lavar o rosto antes.

Segundo, porque quase todos os comentários negativos que recebo vêm ainda no esquema "Anônimo", ou com identidade falsa, ou não verificável.

Em outras palavras, não é nem será publicado assim. Ou seja, "Anônimo" queixoso, aí está. Até porque comentários positivos que também vêm anônimos eu não tenho publicado (coisa que você não sabe, porque, ora essa, não vê). E já publiquei dois dos seus comentários antes, com respostas atentas & longas da minha parte.

Ahora bien: desde que um justo comentário crítico, pretensamente cínico ou bem negativo saiba se escrever com autor efetivo & dentro das regras acima descritas, é & será bem-vindo.

Pseudônimos & outras fofuras não serão aceitas. Hahaha?

O sempre vosso,

D.